• Redação Santa Cabeleira

Homenagem Santa Cabeleira a Fernanda Young

Existem Mulheres e Mulheres...

Esta Mulher faz com que a gente se curve ao seu legado.

Não dá para deixar passar em branco uma ida tão prematura.


Homenagem Santa Cabeleira a Fernanda Young

Fotos: Bob Wolfenson


O problema é que quero muitas coisas simples, então pareço exigente.


Não mais delirar, nem sentir no corpo esse seguir sem descanso, atrás de sutilezas que não podem ser descritas.

O amor não se transforma, ele se esgota, e a gente vai levando, por vários motivos. 
E, saibam, muitos desses motivos não são nada nobres.

Eu sou mole demais por dentro para deixar todo mundo ver. 
Eu deixo para quem eu acho que pode comigo. 
Ninguém sabe. 
Mas eu tenho coração de moça.


Mulheres tarja preta, 
contra indicadas, 
que causam dependência física não há de vez em quando, 
toma-se uma dose já desejando outra.


Coração quebrado tem cura: A paz de não precisar mais aguardar a perfeição que não existe.


Sinto-me como ponte elevadiça. Subo, desço, entro e saio, jamais fico, jamais ao lado, somente embaixo, somente em cima.


Não se soma à alma aquilo que não é capaz de entrar dentro dela.

Sabe qual é meu sonho secreto? 
Que um dia você perceba que poderia ter aproveitado melhor a minha companhia.


Eu devo reconhecer que ninguém me conhece. 
Não realmente. 
Os que mais sabem não sabem da metade. 
Não deixo todos os segredos escaparem de mim, não mesmo.


Eu preciso aprender a ser menos. 
Menos dramática. Menos intensa. 
Menos exagerada. 
Alguém já desejou isso na vida: ser menos? Pois é. 
Estranho. 
Mas eu preciso.



Ele dizia que eu era linda. 
E me fazia ter coragem. 
Ou melhor: fazia-me ver a coragem que há em mim.


Quatro grandes mentiras da humanidade:
1- Vou ver e te falo
2- A gente vai se falando
3- Li e concordo com os termos
4- Não vou nem me estressar

0 visualização